"Nasci em 45, no final da guerra , portanto minha juventude foi uma juventude pós-guerra necessariamente. Comecei a usar cabelo James Dean, blusão de couro e a beber cuba-libre, o que espantava meus pais burgueses de classe média: 'Um menino que teve tudo , nasceu em berço de ouro, mimado , por que age assim?' , meus pais se indagavam.

Minha mãe queria que eu fosse presidente da República. Meu pai era chefe de Telecomunicações da Viação Férrea Federal da Bahia. Além disso ele sempre foi um sombra em minha vida. Na realidade, hoje é que ele está sentindo necessidade de se chegar; eu e meu único irmão o estamos acatando.

Casei quatro vezes e morei um ano e meio com a carioca Tânia, com a qual não tive filhos. Foi minha terçeira mulher.

Anos 50: nossa familia com meu pai saímos viajando por todo o interior da Bahia inspecionando estações de trem. Ouvia muito Luiz Gonzaga e os repentistas da estrada de ferro. Meu irmão e eu tomávamos cachaça escondido junto com os matutos do norte.

Na cidade em Salvador papai ouvia o Repórter Esso, mamãe colecionava a revista O Cruzeiro, e ficou muito deprimida quando Marta Rocha perdeu por duas polegadas a mais!!! Eu metido em brigas de turma nos bairros: lambreta e conduíte.

Naquela época a Bahia estava infestada de americanos que trabalhavam para a Petrobrás. Em 54 surge nos Estados Unidos Elvis e o Rock'n'Roll caipira, além do blues dos negros do sul. Os filhos dos gringos me apresentavam esse novo fenômeno através de discos e revistas. Quando a gente se encontrava na rua o papo era: 'E aí , tudo bem, tem disco novo?' Aprendi blues e rock antes destas músicas terem chegado ao Brasil. Além disso aprendi inglês fluentemente.

Troquei minha lambreta por dois velhos pares de violão e um contrabaixo de pau. Baixo acústico.

Perdi a segunda séria do ginásio por cinco anos para comparecer aos programas de rádio e ao Elvis Rock Club, onde se bebia e dublava os artistas americanos; eu era o único que cantava e tocava ao vivo."
13/09/1987

"Compus Metamorfose Ambulante com catorze anos ou menos"

"Hoje é aniversario do meu pé , ele é poucos meses mais velho do que eu. Foi por causa do parto de minha mãe, Diz ela que, na hora que eu estava pra ser parido, meu pé pintou primeiro e ficou dois meses de fora. Só depois desses dois meses que o resto de mim saiu inteiro.

E como eu , paranóico, desconfio, que ele se gaba de ter dois meses de minha vida em minha frente, no seu aniversário eu o castigo, não colocando polvilho Granado no seu pé-de-atleta."

1984

"Meu nome é Raul e eu acho ele forte; um som de um rugido no início e um uivo de um lobo no final"

"Eu perco pra malandro , perco pra ladrão
Perco pra espertinhos e espertões
Perco na transação bancária, nos juros
Na Taxa diária
Ah , mas na sabadoria é que eu ganho de vocês
Essa ninguem me tira."


"O que estão contra a loucura do sistema, ou seja , os ditos revolucionários e padronizados. Se não for cabeludo não lhe é dado crédito. E outra , notei que da parte dos jornalistas há um certo receio de dar apoio ao movimento, já que o movimento é o que eles querem , mas podem 'perder o emprego'.

Como eu ainda não fui preso eles dizem que sou artista de consumo , ou seja , agente do Dops ou CIA. Para que dêem crédito ao meu ponto de vista (já que é mais avançado que o deles) eu preciso , como Caetano, ser expulso do país e ter músicas censuradas, ser preso como Chico , queimar fumo pra não ser "careta" , cheirar pó , senão é "careta".

O convencionalismo desses debilóides me deixa puto: se eu canto para o povo eu sou melhor estendido que as críticas dos jornais?? Esses críticos são uns idiotas bitolados. Ficam sentados atrás de uma mesa de redação ou atrás de perguntas programadas por minicassetes. Não movem uma palha porque não sabem mover , e quando alguém move eles não entendem. Se eu fosse contar com esse apoio tava fudido. São tão perigosos como os donos do poder . São tão doentes como a sociedade."

"O punk é um modismo que não atinge o governo e vai acabar sendo engolido pelo sistema."

SOU PUNK

"Amanheci determinado a mudar
Agora vou ser punk até apodrecer
Apodrecer para incomodar
Com meu mau cheiro empesteando seu jantar
Eu sou punk , nojento , e mais
Eu quero é matar minha vozinha
Botar veneno na cerveja do meu pai
Não acredito mais em nada
Vou cuspir na cara da empregada
Eu sou punk
Nojento , vulgar , demais."


"A desobediência é uma virtude necessária à CRIATIVIDADE."

ANARKLAND

"Vem, me dê a mão que eu vou te mostrar um lugar chamado Anarkland.

Situa-se nas proximidades da ilha de Marajó e conta dez mil habitantes.

É um país onde não há governo central , seus cidadãos são seus próprios governos. É muito engraçado porque todo habitante lá me diz que cada homem de Anark é o seu próprio país. São dez mil pessoas e lá não tem polícia porque lá não tem ladrão, e o fato de não ter ladrão é que o dinheiro não existe. Individualistas, ultra-anarquismo desenvolvido ao mais alto grau, Anarkland existe com audácia servindo de exemplo para os demais países da Terra de antiquadas concepções e ideologias políticas. Os demais países não têm absolutamente nenhum interesse econômico por Anark(considerado 'riscado do mapa' dos governos como 'país pobre'). Não se processam riquezas minerais pois cada indivíduo tem seu próprio jardim onde as trocas se promovem entre si. Mantêm felizes os seus homens e os seus valores, que são completamente diferentes dos valores econômicos dos países totalitários, pois não há indústria, dinheiro , exploração, escravidão , loucura , empregrados , somente GENTE. E gente não come ouro, petróleo. Gente come o que gente planta.A ilhota é tão pequena que o único veículo utilizado para locomoção são animais de montaria: cavalos , burros, bois , vacas e curiosas avestruzes gigantes que chegam a fazer 30 quilômetros por hora!

Vamos neste momento entrevistar um anarkman, sr. Lemmiuns.

- Sr. Lemmiuns , o senhor não sente falta de ir a um cinema? Eu soube que não há nada assim por aqui. Diversões públicas...

- Ah , ah, ah. Já fui muito fã de cinema quando eu morava na cidade... mas isso já faz muito tempo. Era quando eu era infeliz, e o cinema foi feito para uma breve desgarga da trsiteza em troca de algumas risadas ou entretenimento. Como eu já não sofro , não preciso de paliativos tipo cinema, vê? O sistema autoritário é mais mostruoso do que se imaginava; a busca de desejos, vitrinas , se formar , ser rico , tudo isso não passa de uma tola fuga da infelicidade.

- O sr. acha possível uma tomada de consciência em massa nesse aspecto? O sistema ruiria em algumas horas se , por exemplo, ninguém saísse de casa? Só por uma hora, que acha?

- Não acho provável , mas eu nunca me preocupei com essa loucura e problemas de escravos desde que me mudei pra cá. Desde que me tornei um anarkman; se eles são escravos é porque ainda não estão fortes para sair da escravidão. Que apodreçam em recepções e reuniões políticas. Azar.

- Lá essa sua atitude seria tachada de burguês-acomodado-porco-egoísta.

- É possível que você tenha razão. Mas eu não moro lá. Aqui eu SOU.

- Pessoalmente eu não posso sair da cidade. Gosto muito de dinheiro, sr.Lemmiuns. O senhor não se sente nem um pouco confinado? Fora do mundo?

- Que mundo? Aquele desvario antagônico de valores absolutos? Eu sou livre pra partir pra onde quiser , mas eu não tenho razão para ir me afogar na lama do seu escravagismo!!!

(Ih , ih , ih! risada nervosa do entrevistador.)

- Desculpe se às vezes eu rio, é que eu acho uma loucura. Eu...

- Aqui nós já sabemos que loucura não é a que está escrita nos dicionário.

-Existe algo semelhante ou que se possa comparar com uma Contituição política? Um carta, uma orientação geral?

- Não, não há uma regra geral e sim dez mil constituições sob o conceito: "Faze oque tu queres, há de ser tudo da lei" ou "Não existe Deus senão o homem".

1973

"Eu como marido sou uma merda total.
Como Raul Seixas sou o homem ideial."


"-Deus tem mais de mil nomes:
dinheiro
ídolos
gurus
carro
cigarro
drogas
o Salvador
livros
desejos insatisfeitos
sexo neurótico
status
sonhos
muletas
casa
hobbies
cinema
TV
rádio
e a pergunta POR QUÊ?"

CLASSIFICADOS DO JORNAL O GLOBO

"Prezado mankind,

Eu estou sempre rodeado de gente que mente. É terrível. E é tão difícil encontrar alguém que não minta, não é?

Estou cansado de ficar ouvindo estórias de mentirosos, baixo nível , gente que tem uma pedra no lugar do coração. Gente, como deixaram que isso acontecesse a vocês? Porém eu ainda acredito o ser-gente. É chato se sentir sozinho; eu gosto de pensar que ainda existe alguém parecido comigo.

Vou continuar procurando.

- Ei , por que os bons ficam se escondendo?

Escrevam de volta. Meu endereço é Assis Brasil , 194/901

Anteciosamente , Raul Seixas.

PS: Vamos formar uma Terra própria. Cultivar nosso solo desde o plantio da primeira semente. Nós podemos. Será que a gente onde mesmo? Não, não , eu tenho que crer!!! Senão, o que é que eu faço aqui sozinho? Ninguém tem coragem de vir comigo? A formiga é pequena, mas elas são um exército quando juntas."

SIGA SEU PRÓPRIO CAMINHO PRA SER FELIZ DE VERDADE.

"Quando eu ensinava inglês há uns dez anos, fui expulso do instituto pois um dia, em vez de aula, pedi em plena classe que cada aluno fizesse ali na sala o que bem quisesse fazer. Pra minha alegria vi setenta alunos deuses sendo cada um o que eles eram: uma jornalista com batom vermelho-escuro pintou todas as paredes com desenhos tão bonitos, ela gostava de pintar; um garotinho tira uma gaita do bolso e começa a tocar enquanto um outro , em pé , recita pregando o que é egoísta. Uma senhora tira a roupa e fica nua em pêlo em cima da carteira que eu me sento gritando que o clima da Bahia não comporta rouparias. Disse ela: 'Alguém espalhou um boato que o corpo humano, que a natureza fez igual pra todos , era pecado e ninguém podia ver'.Um outro aluno era um padre respeitado , cheio de pano todo abotuado, levantou-se e foi ao quadro escrever sua confissão: 'Eu , padre fulano, aqui confesso sem enganos que ninguém é pecador! De hoje em diante vou ser um mercenário procurando mundo afora o inventor-impostor que o pecado inventou'.

Eram setenta alunos, velhos, moços e crianças numa aula de inglês. Eu sentado observando que também me traía a fazer o que não queria pois o que eu queria mesmo era compor e cantar o que sentia. Rock and Roll e Twist and Shout. Nisto dona Angelina , que era bancária, me deu uma surpresa retada quando fez o que gostava , que era fabricar granada para soltar em São João, me apareceu o diretor. Vendo a sala louca o diretor abriu a boca, pois não entendeu aquela aula, e nos deu a maior lição expulsando eu e todos o ex-alunos do inútil. Hoje o diretor ainda tá lá no instituto dirigindo e dirigido.

O rapaz da gaita toca blues numa boate duma rua em New Orleans, enquanto a jornalista expões seus quadros surrealistas no Museu de Imagem e Tom. O padre achou num livro o autor do tal 'pecado' e agora escreve e é bem lido, o best-seller mais vendido. A sua tese explica que 'pecado' foi só um mal-entendido. Dona Angelina, ex-bancária da esquina, tá numa fábrica de minas do governo dos States e fabrica suas granadas hoje já atomizadas.

Eu , que vocês sabem, tô cantando o que penso sem patrão, sem dono ou rei vou fazendo o que eu quero porque tudo é da minha lei. Sou o que canto e minha voz não fica rouca. Já fui a mosca na sopa, metarmofose ambulante, trasformo em ouro de tolo em ouro puro em um instante e Al Capone é meu ajudante. No meu signo de câncer eu tenho a cor do luar , sou também a luz das estrelas, óculos escuros guardam meus olhos seguros que os ladrões querem roubar pensando tolamente que olhando com meus olhos vão ver o mesmo que eu.

A moral da história é que não é uma história, nem sequer tem moral, pois o novo e sempre velho pra quem vê com olho de velho , que o velho olha sem saber a explicação."

1977

"Ri melhor quem ri mais alto."

"Minha resistência já não tem limites. Meus corpo passa a ser subordinado pela minha vontade. Sou:

........1- escritor
................2- músico
........................3- poeta
................................4- alcoólatra
........................................5- narcisista
................................................6- gênio
........................................................7- cientista da alma
................................................................8- ah! ah! ah!"

1974

"Há Homens que nascem póstumos."

"Tia Lúcia gosta muito de diamantes e perfumes franceses. Ela gosta porque diamante é uma pedra muito difícil, poucas pessoas têm, e ela acha bonito. Eu não gosto porque não preciso mesmo , mesmo , dele. Ele só fica ali pendurado no pescoço, e além disso ele não serve para brincar. E outra coisa , eu sou uma pessoa diferente dela e é por isso que ela gosta de diamantes e eu não

Krig-Ha Bandolo! - http://jayvaquer.rockin.net/raul/ - Todos os Direitos Reservados®