Click Para Ver Suas Compras Até o Momento

Contos do Rock #107
Jay Vaquer

Publicado na revista Playgrounds 1998

DO Livro " O TRIANGULO DO DIABO"

No ano 1978, meu amigo Raul Seixas me convidou para tocar guitarra numa excursão pelo sul do Brasil por três semanas. O empresário disse que queria fazer uma promoção dizendo que Jay Vaquer veio diretamente dos Estados Unidos para fazer shows e acompanhar Raul. Ele insistiu que eu não falasse Português na frente de ninguém, nem na frente dos outros integrantes do conjunto que iriam viajar conosco. A gente pegou a ponte aérea Rio - São Paulo e lá pegamos um outro jato para perto da fronteira com a Argentina, onde a gente pegou um daqueles aviões pequenos que sempre caem e somem no mato. Nós pousamos numa estrada de barro onde entramos em carros fazendo uma caravana. A gente viajou algumas horas até jantar no hotel onde passamos a noite. No dia seguinte a gente estava na estrada a umas 10 horas, passando bem no meio do interior , onde tinha aqueles índios que aparecem no especial do National Geografic. Quando chegou a noite nós entramos numa cidade pequena. A primeira casa que vimos tinha luzes de Natal cercando o telhado e o primeiro carro do nosso caravana parou na frente da casa. Depois de 5 minutos o empresário saiu da casa e chamou todos nós para entrar. A casa era um puteiro e o empresário falou que tudo era de graça para o grande Raul Seixas e o conjunto dele incluindo o gringo. A gente aproveitou a situação bastante e fomos embora para o hotel. No próximo dia a gente fez o show à noite e ficamos surpreso de ver tanta gente. O segundo show, na noite seguinte, era lotado também , e depois do show tinha uma festa para nós na casa do prefeito, que tinha Scotch importado que a gente também aproveitou bastante. Na manha seguinte quando eu levantei de ressaca e cheio de liquido, fui ao banheiro para mijar, porra, estava doendo pra caralho literalmente. Eu não consegui completar o ato, e comecei a gritar e reclamar com Raul que estava rindo de mim, até que ele foi mijar e estava com o mesmo problema. Puto da vida, eu fui reclamar com o empresário, que estava dividindo o quarto com alguns membros do conjunto. Eles realmente ficaram surpresos em saber como eu falava todos os palavrões em Português perfeito. O empresário disse que não tinha problema que ele iria resolver para nós. No Brasil se você vai na farmácia eles podem te dar uma injeção mesmo não sendo médicos. Ali estavam os heróis do Rock, numa fila esperando sua vez de tomar a penicilina. Todos nós estávamos com doença venérea das putas. O cara da farmácia tinha uma seringa hipodérmica em cada mão e atirava nos dois lados da bunda no mesmo tempo. Ele falou para nós tomarmos as pílulas, não beber álcool, e nada de sexo por duas semanas. O resto dos shows perderam o brilho, pelo menos agora eu podia falar palavrões em Português, cada vez que o carro entrava num buraco na estrada e eu sentia o dor no cu! 

Lição de Rock #107- Buceta nunca é grátis, sempre, de alguma forma, você vai acabar pagando no fim.